A função do diafragma, obturador e ISO – DICAS

TREV_BLOG_ABERTURA_

O giro de um botão diferencia o amador com uma câmera DSLR/Reflex para um fotógrafo profissional respeitado. Esse giro representa sair da função automática para o modo manual.

A partir do momento que decidimos encarar uma câmera em seu modo manual, encontramos três pontos chaves: O ISO, obturador e o diafragma. Para os fotógrafos profissionais e experientes, tais funções se tornam “automáticas” no dia-a-dia, porém, para quem está a começar uma carreira ou deseja se aprofundar nessa arte da fotografia, abaixo vão algumas dicas de como podemos trabalhar no modo manual.

Porém, sempre tenha em mente que não existe o certo ou o errado na fotografia, a partir do momento que se dominam as técnicas, cabe a cada fotógrafo buscar seu estilo, de acordo com a vontade própria ou do que o cliente desejar (geralmente o segundo fator é o predominante).

TREV_BLOG_ABERTURA_

O diafragma controla o quanto de luz vai entrar para sensibilizar o filme, no caso de câmeras analógicas, ou o sensor das digitais.

A abertura do diafragma interfere na profundidade de campo, ou seja, quanto mais aberta está a lente, menor é essa profundidade e vice-versa.

 TREV_BLOG_OBTURADOR

A velocidade do obturador é o tempo que a câmera leva para abrir e fechar o obturador, para que possa assim, passar a luz que irá sensibilizar o sensor digital e formar a imagem.

Sempre que aparecer um número, seguido pelo caractere “, equivale a segundos, ou seja, o obturador irá ficar aberto por  1” (um segundo), por exemplo. Dessa maneira, o assunto fotografado ficará sensível e qualquer movimento dará a impressão da foto estar “borrada”.

Porém, quando estiver calibrada em “1/500”, quer dizer que o obturador permanecerá aberto por 1 segundo dividido por 500. Assim, não irá captar nenhum movimento, e a foto será “estática”.

TREV_BLOG_ISO

Para ambientes com muita luz, use o ISO baixo, assim a foto ficará menos granulada e com contornos mais nítidos. Com o ISO maior, pode-se fotografar com menos luz, porém, o ruído é perceptível.

Nem sempre as fotos com ruídos, pode-se dizer que é uma foto feia ou mal fotografada, porém, é necessário sempre estar atento ao objetivo da sessão de fotos. Caso as fotos possuam um cunho profissional, como eventos ou still, dificilmente (para não dizer impossível), serão toleradas fotos granuladas, porém, para fotos pessoais ou com objetivos específicos, como moda, por exemplo, é um estilo a ser pensado.

FOTOS: flickr.com/cleomota