Disparador remoto de flash! – DICAS

TREV Disparador remoto de flashes

Para fotógrafo profissional que possui ou trabalha em estúdio, sabe que um dos seus piores vilões é o cabo de sincronismo.

Além deles se enrolarem um com os outros, darem nós impossíveis de desfazer, afrouxarem a conexão (e assim, cria-se a necessidade de substituí-lo com certa frequência), ainda existe o grande risco (e acredite, mais cedo ou mais tarde vai acontecer), de alguém tropeçar em um desses fios e derrubar seu flash ou sua câmera DSLR/Reflex Nikon, Canon, Fuji, Sony etc. que você cuida com tanto carinho.

Como ainda não podemos eliminar todos os cabos (como o de força, por exemplo), pelo menos o cabo de sincronismo já pode ser substituído.

Quem trabalha com estúdio já conhece e usa, ou no mínimo, já ouviu falar, porém, para quem está no começo de carreira ou ainda possui dúvidas se deve utilizar ou não, aqui vou apresentar como se utilizar:

Antes de explicar como utilizá-los, é necessário entender que são dois aparelhinhos, um é o transmissor, que é conectado na câmera, e como o nome já diz,  transmite a informação, ou seja, de modo básico e grosseiro, no intervalo entre “bater a foto” e a câmera captar a imagem, o transmissor envia informação que a será fotografado, para o receptor (que é o outro aparelho). Dessa maneira, o receptor recebe a informação e dispara o flash.

Existem duas maneiras de trabalhar com o disparador de flash (transmisssor e receptor):

– Conecta-se o transmissor na sapata hot shoe da câmera e o receptor (ou receptores, depende quantos flashs o profissional utiliza) no flash, através de um mini cabo de sincronismo.

– Da mesma maneira que do outro modo, ao utilizar mais de um flash, conecta-se o transmissor na sapata da câmera, porém, dessa vez se utiliza apenas um receptor, e liga a fotocélula nos outros flashs, para que, ao disparar o primeiro flash, todos os outros disparam.

DICA TREV

Quando trabalhamos com foto estúdio, com iluminação feita por flash, a velocidade do obturador a ser escolhida irá depender do modelo da câmera, do disparador, etc. Porém, a média para se utilizar e sincronizar câmera com flash, é de 1/200 ou 1/250. Segue abaixo, um modelo das variações de velocidade.

 TREV Disparador remoto velocidade do flash 

Além de eliminar a necessidade de cabos extras, o fotógrafo ganha total liberdade para fotografar com sua câmera DSLR/Reflex, assim, realizar ensaios fora do padrão, consequentemente, faturar e ganhar um nome mais forte no mundo da fotografia. Pode aparentar um pequeno detalhe, porém, são esses detalhes e pequenos investimentos, que irão fazer o fotógrafo colher os frutos do seu trabalho posteriormente.

O exemplo dado nesse post, foi exclusivo para fotografias em estúdio, mas muitos profissionais também o utilizam em flashs portáteis em eventos como casamento, por exemplo, mas esse é um assunto para um próximo post…